[Centro de recursos]     [Formação]     [Ateliers]     [e-Revista]     [Início] 

 

 

Ozarfaxinars

e-revista  ISSN 1645-9180

Direção: Jorge Lima   Edição e Coordenação: Margarida Soares

 

[Outros números publicados]

 

 

___17___

Março 2010

 

Auto-Avaliação de Escola

Serafim Correia

 

 

PARA COMEÇAR

 

Miguel Santos Guerra

 

 

[Auto-avaliação de Escola: a construção de referenciais]

Serafim Correia

 

 

LEITURAS SUGERIDAS

 

[A (auto)avaliação das escolas: “virtudes” e “efeitos colaterais”]

Sá, Virgínio. (2009) in Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 17, n. 62, p. 87-108, jan./mar. Consultado em [Fevereiro, 2010]

 

[A Eficácia das Escolas Não se Mede: Ela se Constrói, Negocia-se, Pratica-se e se Vive]

Thurler, M.A. Artigo publicado originalmente em CHARRA M. (Org.). Evalution et nanlyse des établissements de formation: problématique et métbodologie. Paris/Bruxelles: De Boeck, 1994. p. 203-224. (Texto reproduzido com a autorização da autora e do editor; tradução de Luciano Lopreto; revisão técnica da tradução de Maria José do Amaral Peneira). Consultado em [Fevereiro, 2010]

 

[Avaliação interna das escolas e circulação de políticas públicas num espaço educacional europeu]

Rufino, César (2007). in Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 04, pp. 29 ‑ 38. Consultado em [Fevereiro, 2010]

 

[A Auto‑avaliação das escolas e a regulação da acção pública em educação]

Simões, Graça Maria Jegundo (2007). in Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 04, pp. 39 ‑ 48. Consultado em [Fevereiro, 2010]

 

[A auto-avaliação: estratégia de organização escolar: rumo a uma identidade: estudo num agrupamento de escolas do Concelho de Sintra]

Baptista, Maria Emília (2007). in Repositorium ABerto. Universidade aberta. Consultado em [Fevereiro, 2010]

 

[Patología general de la evaluación educativa]

Santos Guerra, (1988). in Noves Tecnologies Aplicades a l'Educació. Universitat de Barcelona. Consultado em [Março, 2010]

 

[Auto-Avaliação das Escolas e Avaliação Externa - Os Pontos de Intersecção]

PAR – Projecto de Avaliação em Rede (2010). in Azevedo, et al (2006). Relatório final da actividade do Grupo de Trabalho para Avaliação das Escolas. Lisboa: Ministério da Educação

 

 

PROJECTOS DE AVALIAÇÃO DE ESCOLAS

 

[PAR – Projecto de Avaliação em Rede]

[Programa AVES - Avaliação de Escolas]

[Empresários pela Inclusão Social (EPIS) - Projecto Escolas de Futuro: Auto-Avaliação e Melhoria Contínua]

[CAF - Commom Assessement Framework]

 

 

AS ESCOLAS NA AUTO-AVALIAÇÃO DE ESCOLA

Links para páginas apresentadas pelas escolas sobre a sua auto-avaliação

 

[Escola Secundária Manuel de Arriaga]

[Escola Secundária da Amadora]

[Agrupamento de Escolas de Oliveirinha

[Escola Secundária de Lousada

[Agrupamento de Escolas Moinhos da Arroja

[Agrupamento de Escolas de Tondela]

[Escola Secundária António Granjo]

 

 

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

 

Despacho n.º 22317/2009

Designa os peritos para integrarem as equipas de avaliação, a constituir no âmbito da Inspecção-Geral de Educação, no ano escolar de 2009-2010.

 

Decreto-Lei n.º 224/2009

Procede à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, que aprovou o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, e prevê a existência de postos de trabalho com a categoria de encarregado operacional da carreira de assistente operacional nos mapas de pessoal dos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas.

 

Despacho n.º 16551/2009

Fixação dos critérios a observar na constituição e dotação das assessorias técnico-pedagógicas para apoio à actividade do cargo de director dos estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

 

Despacho n.º 9745/2009

Fixação do número de adjuntos do director para os estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

 

Despacho n.º 9744/2009

Reduções da componente lectiva pelo exercício dos cargos previstos no Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril

 

Decreto Regulamentar n.º 1-B/2009

Fixa o suplemento remuneratório a atribuir pelo exercício de cargos de direcção em escolas ou agrupamentos de escolas, bem como prevê a atribuição de um prémio de desempenho pelo exercício de cargos ou funções de director, subdirector e adjunto de agrupamento de escolas ou escola não agrupada.

 

Despacho n.º 31614/2008

Determina a designação dos peritos para integrarem as equipas de avaliação, a constituir no âmbito da Inspecção-Geral da Educação, no ano escolar de 2008-2009.

 

Portaria n.º 604/2008

Define as regras a observar no procedimento concursal prévio à eleição do director, nos termos do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril.

 

Decreto-Lei n.º 75/2008

Aprova o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

 

Portaria n.º 1260/2007

Estabelece o regime do contrato de autonomia a celebrar entre as escolas e a respectiva Direcção Regional de Educação em regime de experiência pedagógica.

 

Despacho n.º 4341/2007

Designa os peritos para integrarem as equipas de avaliação, a constituir no âmbito da Inspecção-Geral de Educação, para o ano 2007.

 

Despacho tipo n.º 22 696/2006

Delegação de competências

 

Despacho tipo n.º 9776/2006

Delegação de competências.

 

Despacho conjunto n.º 370/2006

Constituição de um grupo de trabalho com o objectivo de estudar e propor os modelos de auto-avaliação e de avaliação externa dos estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, e definir os procedimentos e condições necessários à sua generalização, tendo em vista a melhoria da qualidade da educação e a criação de condições para o aprofundamento da autonomia das escolas.

 

Decreto-Lei nº 31/2002

Sistema de avaliação da educação e do ensino não superior

 

 

OUTRA DOCUMENTAÇÃO

 

[Organização do Ano Lectivo - Relatório Nacional 2008/2009]

[Avaliação Externa das Escolas – Relatório Nacional 2007/2008]

[Organização do Ano Lectivo - Relatório Nacional 2007/2008]

[Avaliação Externa das Escolas – Relatório Nacional 2006/2007]

[Relatório final da actividade do Grupo de Trabalho para Avaliação das Escolas (Dezembro, 2006)]

[Quadro de referência para a avaliação de escolas e agrupamentos]

 

 

LINKS DE REFERÊNCIA

[EFQM - European Foundation for Quality Management]

[EURYDICE - Education in Europe Network]

[SYNEVA - Examples of interesting practice of internal and external evaluation of schools]

[SYNEVA - Quality Assurance through Synergy of Internal and External Evaluation of Schools]

 

 

OUTROS LINKS

 

[Projecto BESP - Benchmarking das Escolas Secundárias Portuguesas]

[Estatísticas de Educação - GEPE - Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação]

 

 

OUTRAS LEITURAS

 

Alaíz, Vítor; Góis, Eunice; Gonçalves, Conceição (2003). Auto-avaliação de escolas. Pensar e praticar. Porto: Edições ASA.

Alves, Mª Palmira (2004). Currículo e Avaliação. Uma perspectiva integrada. Porto: Porto Editora.

Alves, Mª Palmira. & Correia, Serafim (2009). Avaliação interna e externa: soma necessária para uma escola de qualidade. In Silvia Pillotto e Mª Palmira Alves (orgs.). Avaliação em educação: questões, tendências e modelos. Brasil: Editora Univille, pp.31-52.

Alves, Mª Palmira. & Correia, Serafim (2008). A auto-avaliação de escola: um estudo exploratório sobre os dispositivos de auto-avaliação das escolas públicas em Portugal. In Olha de Professor, 11(2), pp.355-382.

Alves, Mª Palmira. & Correia, Serafim (2008). Os resultados escolares e a Avaliação do desempenho: avaliar para mudar ou mudar para avaliar?. In Jorge Costa, António Neto-Mendes e Alexandre Ventura (orgs.). Trabalho Docente e Organizações Educativas. Aveiro: Universidade de Aveiro, 679-693.

Alves, Mª Palmira & Correia, Serafim (2006). Auto-avaliação de escola: um meio de inovação e de aprendizagem. In Investigar em Educação. Revista da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, n.º 5, 149-182.

Alves, Mª Palmira & Machado, Eusébio (2008). Avaliação com sentido(s): contributos e questionamentos. V.N. de Famalicão: De Facto Editores.

Aragón, Lucio; Juste, Ramón (1992). Evaluacion de centros y calidad educativa. Madrid: Editorial Cincel Kapelusz.

Bolívar, Antonio (2000). Los centros educativos como organizaciones que aprenden: Promesa y realidades. Madrid: La Muralla.

Bolívar, Antonio (2001). “Los centros educativos como organizaciones que aprenden: una mirada crítica”. Revista argentina contexto educativo , n.º 18.

Bolívar, António (2003). Como melhorar as escolas. Estratégias e dinâmicas de melhoria das práticas educativas. Porto: Edições ASA.

Casanova, Maria (1992). La evaluación. Garantia de calidad para el centro educativo. Zaragosa: Edeluives.

Correia, Serafim (2009). Avaliação de Desempenho Docente e Auto-avaliação de Escola: uma articulação necessária. In ELO 16. Guimarães: Centro de Formação Francisco de Holanda, pp. 201-213.

Correia, Serafim (2006). Dispositivo de Auto-avaliação de Escola: intenção e acção. Um estudo exploratório nas escolas públicas da região norte de Portugal. Braga: Universidade do Minho. (Tese de Mestrado)

De Ketele, Jean-Marie (1991). L’évaluation: approche descriptive ou prescriptive? . Bruxelles: De Boeck

Entonado, Florentino; Fustes, Francisco (2001). “De las organizaciones que enseñan a las organizaciones que aprenden”. Campo Abierto, nº 20, pp. 49-64.

Fullan, Michael (2002). Las fuerzas del cambio. Madrid: Akal.

Hadji, Charles (1994). Avaliação, regras do jogo: Das intenções aos instrumentos. Porto: Porto Editora.

Leite, Carlinda (2003). Para uma escola curricularmente inteligente. Porto: Edições ASA.

Lima, Jorge Ávila de (2008). Em Busca da Boa Escola. Instituições eficazes e sucesso educativo. V.N. de Gaia. Fundação Leão.

Macbeath, John; Jakobsen, Lars Bo; Meuret, Denis; Schratz, Michael (2005). História de Serena. Porto. Edições ASA.

Marchesi, Álvaro; Martín, Elena (2003). Qualidade do ensino em tempos de mudança. Porto Alegre: Artmed.

Nevo, David (1997). Evaluacion basada en el centro: un diálogo para la mejora educativa. Bilbao: Ediciones Mensajero.

OCDE (1992). As escolas e a qualidade. Rio Tinto: Edições ASA.

Roullier, Jean (2004). “A auto-avaliação de um projecto de escola: uma profissionalização de um actor colectivo”. Revista de Estudos Curriculares , ano 2, n.º 2, pp. 239-261.

Sallán, Joaquín (2000). “Cambio de cultura y organizaciones que aprenden”. Educare , n.º 27, pp. 31-85.

Santos Guerra, Miguel (2001). A escola que aprende. Porto: Edições ASA.

Santos Guerra, Miguel (2002a). “Como um espelho – avaliação qualitativa das escolas”. In Joaquim Azevedo (org.) (2002). Avaliação das escolas: consensos e divergências. Porto: Edições Asa, pp. 11-31.

Santos Guerra, Miguel (2002b). Entre bastidores: O lado oculto da organização escolar. Porto: Edições ASA.

Santos Guerra, Miguel (2002c). Os desafios da participação: Desenvolver a democracia na escola. Porto: Porto Editora.

Santos Guerra, Miguel (2003a). Tornar visível o quotidiano. Teoria e prática de avaliação qualitativa das escolas. Porto: Edições ASA.

Santos Guerra, Miguel (2003b). Uma seta no alvo. A avaliação como aprendizagem. Porto: Edições ASA.

Simons, Helena (1999). “Avaliação e reformas das escolas”. In Albano Estrela e António Nódoa (orgs.) Avaliação em educação: novas perspectivas. Porto: Porto Editora, pp. 155-190.

Stufflebeam, Daniel (1978). “Alternativas em avaliação educacional: um guia de auto-ensino para educadores”. In Lilia Bastos e Lyra Paixão (orgs.). Avaliação educacional. Perspectivas, procedimentos e alternativas. Petrópolis: Editora Vozes, pp. 102-129.

Thurler, Monica (1998). A eficácia das escolas não se mede: ela se constrói, negocia-se, pratica-se e se vive,  . (acesso em 1 Dezembro de 2005).

Varela de Freitas, Cândido (2001). “Escolas de qualidade e avaliação”. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación, vol. 7, n.º 5, pp. 283-288.

 

 

 

 Agradecemos, desde já, a sua opinião sobre este número - ozarfaxinars@gmail.com

 

 

© CFAE_Matosinhos